terça-feira, 20 de março de 2012

Metafísica

De todo o meu amor serei saudade;
Por tudo que já fôra e há de sê-lo,
De tudo que se encanta por havê-lo,
O puro sentimento da verdade.

Por ter-te essencialmente bom e puro,
Por ser naturalmente eterno e belo,
Surgindo em seu crepúsculo libelo,
De forma colossal em doce apuro.

Crisálida singela da alvorada,
Translúcida formosa alvinitente,
A lúcida garrida, a bruta rosa!

Desdobra majestosa transcendente
Em lívidos langores figurada
Nos céus em doce forma paira honrosa.


Alexandre Machado Marques

Um comentário:

Lalinha Mendes disse...

Bonita poesia, poeta.