sexta-feira, 6 de março de 2009

Alvorecer

Quando acendo meu cigarro
Eu te sorvo em meu café
Mergulhando em teus afagos -
Teu perfume de mulher.

Vou jurar-te amor eterno -
Meu poema, meu enredo!
Acordar-te em acalanto
Te aquecendo logo cedo.

Esse sol que nos envolve
Entre laços de amplexo,
Essa frebe que me move -
O teu mundo tão complexo.

Eu te quero todo dia
Em meus dedos, pelo toque,
Pela pele o sol clareia,
Pela veia o sangue corre.

Quando nasce a luz da aurora
Admiram nosso sono
E a luz ardente implora
Despertando nosso sonho.

Já te falo ao pé do ouvido
Sussurrando aquele agrado
E num beijo comovido
Solto acordes pelo espaço.

Tu sibila um tom sonante -
Fecho os olhos para ver -
A leveza insustentável
De te ter no alvorecer.


Alexandre Machado Marques

2 comentários:

cellah_ disse...

escrevendo cada vez melhor ne? nao sei como ainda nao foi descoberto.. eheheheh. muito bom os textos! beijos, cellah

thiiu, disse...

Lindo, lindo! A coisa mais linda, escrevendo coisas lindas..