terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Fome

A flor encarnada viva,
A cálida taça em sangue
De cor de vertigem grita
Na sede da fome.
O doce desejo habita.
A sede do vinho assome -
Vontade que vai e passa
Só o corpo consome.

Alexandre Machado Marques

Um comentário:

nathy disse...

a boca bucolica é tua! ;)

gostei, alexandre!