quinta-feira, 1 de julho de 2010

Desfalecer

Por fim, desfaleci,
Em cada passo desdobrando.
A minha carne
Ainda presa à pele tua
Defez-se inválida, rasgando.

Então, desatinei,
Em cada pouco me deixando.
E o meu olhar
Ainda preso aos olhos teus
Desfez-se em lágrimas, sangrando.

Porque de tudo eu dei,
Em cada beijo me entregando.
A minha boca
Ainda presa à língua tua
Desfez-se louca, se calando.

Por fim, já nem mais sei,
O que seria desse encanto.
Se a minha vida
Ainda presa à vida tua
Defez-se lívida de pranto.


Alexandre Machado Márquez

3 comentários:

Francisco Nery disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Francisco Nery disse...

meu peito parece que foi se estrangulando pouco a pouco enquando eu lia..
pois é meu grande amigo,
eu te disse que doia.

Marcela disse...

'Porque de tudo eu dei,
Em cada beijo me entregando.
A minha boca
Ainda presa à língua tua
Fez-se louca, se calando.'

é, tens o dom de fazer a tristeza de um coração triste ficar lindo. :*