terça-feira, 27 de julho de 2010

Inconsciente

A inspiração foi concebida
Pelo meu subconsciente,
Foi de uma dor amamentada
Que crescendo lentamente.

Com a pressão descontrolada,
Com seus desmaios recorrentes,
Sem ter razão de ser amada,
Viveu em febre permanente.

Foi sem destino, alienada,
Foi depressiva e descontente,
Sem ter paixão precepitada,
Sem ter ventura de ser crente.

E sem poder ser definida,
Considerou-se indigente,
Foi se perder embriagada,
Pobre esquecida pela mente.

Foi finalmente condenada,
Por ter nascido inconsciente,
E acabou crucificada -
Mas mesmo assim, morreu contente.

Alexandre Machado Márquez

3 comentários:

Marcela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcela disse...

'Finalmente condenada,
Por nascer inconsciente,
Acabou crucificada -
Mesmo assim, morreu contente.'

teus textos são impactantes e leves, uma delícia de ler. (:

Muito lindo! =*

thiiu, disse...

Adorável.. você e seus textos!