segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Poemeto de Carnaval

Quando os amantes se amaram
Todas as vozes cantaram
Fantasiadas de amor.

Tantos acordes soaram,
Todos os sinos tocaram,
Tudo mudava de cor.

Ruas antigas sagradas,
Toda a cidade enfeitada,
Não se lembravam da dor.

Quando, fiéis, se beijaram;
A colombina e o palhaço
Num carnaval que passou.

Alexandre Machado Márquez